quinta-feira, 25 de junho de 2015

Templo da existencia




Templo da existência

 Tempos extensos de quimeras
Onde alguns sonhos desvanecem
 Tempos errados e errados tempos
destroços e retalhos em quantidade.
No infinito das estrelas... enigmas
O espaço se obscurece de todo.
Há nostalgia e sente-se algum odor
 Flôres e primavera destilam aromas.
Há algum jardim que floresce
Outro horto dá seus frutos doces
E no jardim sagrado da esperança
 Brota as flôres e seus vários tons.
No crepúsculo o dia esmaece.
Anuncia um dia a mais que virá.
 Porém, nasce a fé e revigora-nos.
Nasce instintiva fagueira paixão.
Os corações meditam no silêncio.
Ver-se ao longe alguma miragem
o milagre das nossas verdades.
Em outras vidas enlace de nós.
Assim definimos indecifravelmente
Que somos eternos até quando
o amor permanecer nas vidas.
Havera  sentimentos de eternidade.

Alma Gort 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Forum poesias