quinta-feira, 29 de setembro de 2016

A espera



 




 A espera.


Sentindo o frio da madrugada
Na taciturna noite desta estrada
Minha e de pessoas enganadas
Detalhes da vida e da jornada

Tantos sonhos que foram embora
Mudou caminho ao caminho do fim
O que sera sera falo para mim
Alguém abriu a caixa de pandora!

Homens em pânico e seu futuro
Nações infelizes saqueados num augúrio
Quarta feira de cinzas e sem folia

Chegou outono e folhas voam ao vento
na noite um mundo triste e tão silento
Mestre! resta a esperança que virás um dia…
 
Alma Gort

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Forum poesias